Nove Princípios Básicos dos Commons

A importância de pertencer, participar, criar, restaurar, redefinir

Elaborado pela equipe do On the Commons; traduzido por Eduardo Rombauer.

Na concepção de soluções, On the Commons segue um conjunto de princípios que ajudam a orientar a criação de novos costumes, entendimentos, sistemas e estruturas para garantir a sobrevivência de nossos Ativos Comuns (Commons). O que se segue é uma lista de de seus princípios comuns.

Three Women Harvesting Potatoes. Photo from Shutterstock.com

“Um Commons surge sempre que uma determinada comunidade decide que deseja gerenciar um recurso de forma coletiva, com uma atenção especial para o acesso e uso eqüitativo com sustentabilidade. É uma forma social que há muito tempo viveu nas sombras de nossa cultura de mercado, mas que agora está em ascensão. “-David Bollier

Princípios

Sem exceção, todos nós pertencemos a nossa comunidade, e cada um de nós tem uma participação igual no que acontece.

É necessário reconhecer e reparar o dano que foi feito, e as injustiças que foram criadas, pela nossa sociedade atual, baseada no mercado.

As coisas que pertencem a todos nós devem ser nomeadas, afirmadas, defendidas, protegidas e melhoradas. Nós temos uma responsabilidade mútua para cuidar desses bens comuns e passá-los para as próximas gerações em melhor forma do que os encontramos.

É preciso honrar a nossa humanidade inteiramente. Nós não somos apenas indivíduos e consumidores – somos vizinhos, membros da comunidade, cidadãos e especialistas sobre os lugares em que vivemos.

Estamos cercados de abundância e oportunidades que o mercado não reconhece ou dá valor. Precisamos ver e reivindicar esta abundância para o benefício de todos.

É preciso que todos tenham a oportunidade de participar na definição, restauração, criação, gerenciamento, liderança, governança e apropriação de tudo o que é importante para o futuro da comunidade.

As pessoas mais afetadas por decisões críticas devem ser incluídas no processo em que as mesmas são tomadas.

A História, as distinções culturais e histórias pessoais das pessoas são fatores importantes no estabelecimento de metas e tomada de decisões, bem como simplesmente compreender a nossa comunidade.

Suficiência e resiliência são o oposto da loucura de crescimento.

Para criar uma sociedade baseada no commons pessoas precisam de mais do que exposição a novas idéias; elas precisam de maneiras tangíveis de experimentar, praticar e viver essas possibilidades luminosas. Para garantir a sobrevivência da comunidade e dos nossos bens comuns, devemos criar novos costumes, entendimentos, sistemas e estruturas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s